Vendas

Avaliação imobiliária: 5 razões para ser um corretor especializado

Avaliação imobiliária: 5 razões para ser um corretor especializado

Você sabia que foi há relativamente pouco tempo que a atuação de corretores na avaliação imobiliária passou a ser legítima? Antes da resolução 957 (atual 1066), de 2006, a determinação do valor de um imóvel usando conhecimentos técnicos era reservada apenas a peritos.

De lá para cá, determinou-se que, para se tornar um corretor especializado, é preciso fazer um curso reconhecido pelo Conselho Federal de Corretores de Imóveis, além de apresentar determinados documentos — como a regularidade de inscrição junto ao Conselho Regional dos Corretores de Imóveis. Sendo aprovado, o corretor se torna também um avaliador!

Mas você está aí se perguntado por que exatamente deveria se especializar na área? Continue a leitura deste post e descubra!

5 razões para fazer um curso especializado

1. Simplifica todo o processo

Para que o processo de compra e venda possa efetivamente acontecer, antes de mais nada, é preciso que o vendedor estabeleça um preço para o imóvel, certo? E é com o propósito de aumentar as chances de sucesso da transação que um vendedor informado procura um avaliador especializado, garantindo assim o alcance do melhor valor possível.

Mas até o comprador pode recorrer a um avaliador, viu? Assim se assegura de que o preço cobrado é realmente justo, condizente com as variáveis levadas em conta pelo mercado.

Nesse contexto, quando o corretor é especializado na avaliação de imóveis, todo o processo se torna mais simples. Afinal de contas, seus conhecimentos oferecem a segurança necessária para quem compra, que reconhece que o valor é realmente adequado, e também para quem vende, que consegue um preço justo pelo imóvel sem ter que envolver mais um profissional no processo.

2. Proporciona um tremendo diferencial

Especializar-se em avaliação imobiliária não deixa de ser uma espécie de aperfeiçoamento profissional. Assim, mais que apenas intermediar a compra e a venda de imóveis, o corretor passa a ter uma atuação mais ativa em prol do sucesso geral do processo. O resultado? Você sai na frente dos demais corretores que ainda não pensaram em correr atrás desse tipo de especialização!

Pense bem: se um cliente decide vender seu imóvel e precisa decidir entre 2 corretores, por exemplo, é bem provável que ele dê preferência ao profissional especializado em avaliação de imóveis, já que ele oferece algo a mais. Então, melhor garantir esse diferencial o quanto antes, não concorda?

3. Alavanca o poder de persuasão

Mesmo quando o preço não é definido pelo próprio corretor — devidamente especializado — seus conhecimentos em avaliação imobiliária aumentam seu poder de persuasão. E, nesse mercado, essa é uma carta e tanto para se ter na manga!

Imagine, por exemplo, que um cliente está visitando um imóvel. Inexperiente, ele não tem certeza se o valor pedido pelo vendedor é realmente justo. Pois é para vencer essa objeção que o corretor pode lançar mão de seus conhecimentos em avaliação imobiliária, elencando todos os motivos que fazem daquele imóvel uma boa possibilidade para o preço cobrado. Com o apoio técnico na hora certa, o cliente se sentirá mais seguro para fechar negócio.

4. Amplia o leque de possibilidades

Já parou para pensar que a especialização em avaliação imobiliária aumenta suas oportunidades de negócio de maneira geral? Nesse caso, uma imobiliária pode se interessar por você justamente porque detém esse conhecimento. Da mesma forma, os clientes podem passar a confiar mais em você do que nos demais profissionais.

Mas atenção: como corretor especializado, você ainda pode ir além! Que tal, em vez de se limitar a somente intermediar os contratos imobiliários, também oferecer serviços de balanço patrimonial e de inventário, por exemplo? Com isso, todo um novo nicho de mercado se abrirá para você.

5. Eleva os seus ganhos

É claro que, com mais possibilidades de atuação no mercado, consequentemente também surgem mais oportunidades de trabalho e, assim, é possível elevar seus ganhos. O importante é perceber que, como o número de corretores avaliadores ainda é baixo, existe um nicho bastante promissor a ser explorado.

A importância de estar regulamentado no Conselho

Como qualquer área do mercado que esteja de acordo com a lei, o ofício de corretor de imóveis também é regulamentado por um Conselho, que, dentre muitas funções, deve fiscalizar e disciplinar a categoria, verificar se o código de ética está sendo seguido e acompanhar a evolução do setor.

Vamos esclarecer algumas dúvidas que você provavelmente tem sobre o Conselho. Acompanhe!

O que é CRECI e COFECI?

Enquanto CRECI significa Conselho Regional de Corretores de Imóveis, COFECI quer dizer Conselho Federal de Corretores Imobiliários. Eles formam o sistema COFECI-CRECI, que é composto por 25 Conselhos Regionais em todo o país. Como dissemos, a função principal de ambos é normatizar e fiscalizar essa profissão de grande relevância no mercado.

A sua criação se baseia na lei 6.530, de 12 de maio de 1978, e temos, atualmente, cerca de 300 mil profissionais registrados e mais de 40 mil empresas de intermediação na área, como imobiliárias. Essas instituições proporcionam e viabilizam uma cadeia produtiva na construção civil e representam esse ofício tão relevante para a economia.

Como tirar o meu CRECI?

É preciso seguir alguns passos fundamentais para que uma pessoa tire o seu CRECI. Em primeiro lugar, ela precisa fazer uma especialização, que pode ser um curso técnico em Transações Imobiliárias, um curso superior em Ciências Imobiliárias ou Gestão de Negócios Imobiliários ou qualquer outro que seja devidamente reconhecido pelo Conselho.

É preciso ter em mente que nem o CRECI nem o COFECI possuem qualquer vínculo com instituições que ministram essas disciplinas — o que torna o comprometimento do interessado fundamental para que ele tenha uma formação adequada e relevante dentro do cenário de negociações imobiliárias do Brasil.

Além de manter o nível de frequência, o futuro corretor precisa, obrigatoriamente, fazer um estágio na área. Para poder fazer isso, é indispensável se inscrever e solicitar junto ao órgão o seu registro de estágio. As regras variam de região para região, e você deve procurar o conselho para saber qual é a regulamentação no seu estado.

Após concluir todas as horas de aula e finalmente estar com o seu diploma em mãos, você pode solicitar o seu CRECI definitivo. Apenas profissionais credenciados podem negociar propriedades e, caso você saiba de alguém atuando sem registro, é importante que você denuncie, pois isso se trata de uma contravenção prevista por lei.

Qual a importância de tirar o CRECI?

Como qualquer Conselho profissional, o CRECI serve também para resguardar os direitos dos seus associados e brigar por um mercado justo e profícuo na profissão que ele representa. Entre seus principais objetivos estarão sempre fiscalizar e organizar o universo do corretor de imóveis, garantindo um setor forte e repleto de oportunidades.

Além disso, apenas os profissionais devidamente credenciados em seu Conselho Regional estão aptos a realizar com total segurança uma transação imobiliária. O atendimento à fiscalização e defesa do consumidor é imbatível. As penalidades podem variar de uma multa de até 10 vezes a anuidade cobrada pelo Conselho para quem não for credenciado.

E então, pronto para ser um corretor especializado em avaliação imobiliária? Aproveite para conhecer o inGaia Corretor e fique à frente dos seus concorrentes com o sistema para corretores autônomos que possui a melhor tecnologia em sites imobiliários.

Gostou desse conteúdo? Pois para não perder mais nenhuma oportunidade nessa área, não deixe de conhecer já os 7 aplicativos para corretores de imóveis que você precisa ter!

publicidade
Black Friday inGaia - R$ 1000,00 de desconto para ter o sistema imobiliário mais completo do mercado
Artigos relacionados
Compartilhe