Financeiro

Chegou a hora de indicar um consórcio imobiliário?

Chegou a hora de indicar um consórcio imobiliário?

Para que um corretor saiba a hora de indicar um consórcio imobiliário para seu cliente, é importante, primeiramente, determinar as necessidades de aquisição e o capital a ser investido, especialmente em relação ao financiamento imobiliário, cuja comparação muitas vezes é um mito que cerca a escolha de crédito imobiliário.

Os dois principais fatores determinantes nessa indicação são o prazo para retirada e o dinheiro em caixa disponível. O consórcio imobiliário determina o pagamento de parcelas de um grupo de pessoas para uma administradora, sorteando ou leiloando o imóvel para compra de uma das partes quando alcançado um valor determinado.

É um investimento indicado para a pessoa que não tem pressa em retirar o imóvel, ou seja, o cliente deve dispor de um prazo mais longo para aquisição do dinheiro em caixa disponível para efetuar possíveis lances e contemplar as cartas, além de condições de pagar as parcelas antes mesmo de adquirir o imóvel. Mas em caso de a necessidade de aquisição do imóvel ser imediata, e o cliente não ter renda ou saldo suficiente para lances, por exemplo, a melhor alternativa será o financiamento, ainda que possua juros um pouco maiores.

Entenda melhor as vantagens e desvantagens de indicar um consórcio imobiliário para seu cliente:

Quais as vantagens de indicar um consórcio imobiliário?

  • Sem juros, sem entrada, com taxas menores e menos burocracia na aquisição do plano escolhido.
  • O cliente escolhe o crédito desejado, o prazo e o valor das parcelas que cabem em seu orçamento.
  • Várias opções de planos, para comprar Imóveis novos ou usados, em qualquer lugar do Brasil.
  • Possibilidade de usar o FGTS para dar lance ou aumentar o valor do crédito.
  • Autorizado e fiscalizado pelo Banco Central, garantia e segurança para o cliente.

O consumidor precisa considerar, ainda, a possibilidade de valorização – ou desvalorização – do bem a ser adquirido. Isso porque, no caso dos consórcios, o cliente recebe, em geral, uma carta de crédito com um valor pré-determinado, corrigido pela inflação. Assim, caso o preço do bem suba mais que a inflação no período entre a contratação do consórcio e o recebimento da carta de crédito, o valor pode não ser suficiente para comprá-lo.

Entenda diferenças importantes entre o consórcio e o financiamento

Ao decidir se chegou a hora de indicar um consórcio imobiliário para seu cliente é preciso avaliar a melhor opção de acordo com o perfil e as necessidades de cada um:

Financiamento

  • O cliente somente começa a pagar suas prestações após a liberação do dinheiro.
  • É necessário atentar-se e avaliar os juros por ano, assim como o seguro de prestamista que são cobrados, além das correções anuais como, por exemplo, a inflação.

Consórcio Imobiliário

  • O cliente deve contemplar a carta de crédito antes de pensar nas prestações.
  • É necessário avaliar as taxas de administração fixa em cada período, assim como os fundos de reserva, fundo comum, e até mesmo o seguro de vida prestamista. Todas as taxas devem estar embutidas em cada parcela. É interessante aconselhar a análise detalhada de saldo devedor ao fim de cada período.

A avaliação de qual a melhor indicação de compra para seu cliente depende, assim, da possibilidade e do custo da espera pelo bem. Quem está morando de aluguel, por exemplo, deve colocar este gasto no papel para decidir se a melhor opção é esperar o sorteio de um consórcio.

Para oferecer consórcio e crédito imobiliário aos seus clientes, conheça o inGaia Capital, a solução para quem busca uma compra planejada e sem juros, com consultoria gratuita e ótimas comissões para sua imobiliária.

publicidade
Administração de Locações e Financeiro Completo - inGaia Locação
Compartilhe