Vendas

e-possivel-conciliar-a-corretagem-de-imoveis-com-outra-profissao.jpeg

É possível conciliar a corretagem de imóveis com outra profissão?

Com o mercado imobiliário em constante crescimento no país, muitas pessoas têm procurado registro como corretores de imóveis como forma de complementar a renda. Embora tenham outra profissão, o otimismo com relação ao setor faz aumentar a valorização do corretor e surge a dúvida: é possível conciliar a corretagem de imóveis com outras funções?

Para que essa decisão seja a mais certa possível, é preciso analisar diversos fatores pessoais e profissionais. Portanto, se esse é um questionamento seu, vamos ajudá-lo a decidir pela melhor escolha. Ficou interessado? Confira!

Entenda as funções da corretagem de imóveis

Para que você dê início a essa reflexão, é importante entender quais funções competem ao corretor de imóveis. Ainda que você seja devidamente registrado no CRECI (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), só um profissional que exerce a atividade no dia a dia é capaz de internalizar tudo o que é de responsabilidade de um corretor.

Ser corretor vai muito além de fazer ligações oferecendo os imóveis que estão disponíveis no mercado. É visitar imóveis, captar clientes, fazer plantões nos fins de semana e lidar com a inflexibilidade da renda e dos horários. Ainda assim, com dedicação, é possível colher bons frutos dessa profissão.

Converse com outros corretores

Antes de tomar a decisão de conciliar a profissão de corretor de imóveis com outra função, é indicado que você converse com outros profissionais do setor imobiliário.

Procure entender qual é a dinâmica da ocupação e quais as atividades rotineiras de um corretor de imóveis. Se você trabalha em um escritório durante todo o expediente, por exemplo, talvez não consiga encaixar no seu dia a dia um horário para captação de imóveis.

Se for possível, faça uma entrevista completa e questione o profissional sobre a flexibilidade de horário e a comissão do corretor. Isso vai ajudá-lo a ter uma estimativa do ganho mensal para ver se a dedicação compensará suas expectativas.

É importante, também, procurar corretores que desempenhem essa função dupla. Pergunte como foi a adaptação e como é feita a organização das atividades diárias.

Entendendo a dinâmica de alguém que trabalha com o que você planeja pode ajudar a visualizar seu expediente com esse acréscimo de ocupação.

Verifique o código de conduta de sua outra profissão

Para que você tome sua decisão com segurança, é importante se informar sobre a permissão para desempenhar as duas ocupações. Advogados, por exemplo, não podem desempenhar as duas funções em um mesmo escritório.

Procure os conselhos regionais ou sindicatos e informe-se sobre suas obrigações e as regras para atividades paralelas.

Analise sua disponibilidade

Um corretor de imóveis de sucesso é um profissional que dedica boa parte do seu tempo ao trabalho. Além de precisar analisar o mercado imobiliário em busca de clientela, ele deve estar em constante atualização e estudar frequentemente.

O mercado imobiliário contempla muitos assuntos, como aspectos jurídicos, tributários e do consumidor. Um bom corretor, portanto, precisa saber responder aos mais variados questionamentos dos clientes e adquirir credibilidade no mercado.

Procure analisar as janelas de horários do seu dia a dia de trabalho e avalie se é possível inserir todas as atividades de um corretor na sua rotina.

Entenda que um corretor de imóveis precisa de tempo livre para compreender a demanda dos consumidores e as ofertas ideais para cada tipo de pessoa. Muitos profissionais costumam se especializar em determinado tipo de imóveis. Nesse caso, é importante você estudar as regiões especializadas no produto que você quer oferecer.

Se você quer se dedicar ao aluguel e à compra de quitinetes, por exemplo, será preciso se deslocar até as regiões próximas às universidades e ao centro da cidade, onde a procura por essas propriedades é maior.

Verifique sua renda

Se você decidir abandonar uma profissão para se dedicar exclusivamente à corretagem de imóveis, é preciso que analise alguns aspectos financeiros. Coloque no papel sua renda média e suas estimativas de renda como corretor de imóveis.

O ideal é que haja um período de transição entre as duas atividades até que sua carreira como corretor deslanche. Entretanto, se não for possível, procure fazer algumas economias para se sustentar no início.

Se for casado, converse com seu cônjuge sobre a possibilidade de ele assumir alguns gastos enquanto você se estabelece como profissional de imóveis.

Depois disso, dependendo das suas estimativas de renda como corretor, procure planejar quantos imóveis precisarão ser negociados por mês e faça o possível para bater essas metas.

Organize-se e tenha disciplina

Um corretor de imóveis autônomo costuma trabalhar no sistema home office. Nessa modalidade, é necessário que o profissional tenha muita disciplina e organização do tempo.

Quem trabalha em casa precisa evitar a dispersão com as rotinas do lar. Se mais pessoas ficam na sua casa durante o horário do expediente, é importante esclarecer que seu horário de trabalho é o comercial e que não é possível fazer pausas para resolver problemas pessoais.

Se você quer se dedicar a essa profissão, procure montar uma estação de trabalho que facilite seu dia a dia. Esforce-se para não trabalhar sentado no sofá ou na cama para “ensinar” seu organismo de que seu horário de trabalho continua o mesmo.

Uma pequena mesa, um computador e um celular podem ser o início de uma vida promissora. Ou seja, não são necessários grandes gastos para você assumir essa empreitada.

Não se esqueça de que, além da procura por imóveis, compradores e locatários, é preciso que você dedique um tempo para garantir sua presença digital. Um corretor de sucesso deve aparecer nas primeiras pesquisas da web. Portanto, invista em páginas do Facebook, sites pessoais e blogs sobre o mercado imobiliário.

Para ser um corretor de imóveis, o ideal é que você se dedique exclusivamente à função para dar a atenção exigida pelos clientes e angariar imóveis para seu catálogo. Alguns profissionais, na ânsia por uma complementação de renda, podem acabar prejudicando as duas atividades. O melhor, portanto, é desempenhar uma função com excelência, não é mesmo?

Esse conteúdo ajudou você a decidir sobre a conciliação entre a corretagem de imóveis e outra profissão? Se você gostou, compartilhe esse post nas suas redes sociais e ajude outros trabalhadores a tomarem essa decisão!

publicidade
Artigos relacionados
Compartilhe