Financeiro

Gestão financeira de uma imobiliária: como otimizá-la

Gestão financeira de uma imobiliária: como otimizá-la

Obviamente, é essencial que qualquer empresa do ramo imobiliário tenha uma boa carteira de clientes, além de variedade em imóveis para locação e venda e conhecimento de área. Só assim conseguirá construir seu nome na praça e realmente crescer, certo? Mas, assim como qualquer outra organização, a gestão financeira também tem que estar em dia. Afinal, quanto mais otimizada, menos tempo é gasto com processos burocráticos, bem como menor se torna a probabilidade de ocorrerem perdas de dinheiro, seja com desperdício, com a não percepção de maus pagadores ou com ações sem retorno. E já vale adiantar que, ao lado do acompanhamento e da organização de recursos e custos, a tecnologia entra como forte aliada. Preparado para aprender a fazer o gerenciamento ideal das receitas e despesas da sua imobiliária? Então confira:

Atualize seus conhecimentos

Se você já está há anos à frente da administração é normal que tenha ao menos alguma experiência com os trâmites relacionados às finanças, não é verdade? Mas atenção: mesmo assim, rever conceitos e buscar mais conhecimento é importante, especialmente em uma área tão complexa. Já pensou que práticas normais e até rentáveis há algum tempo podem não mais caber na atualidade? Além disso, novas técnicas administrativas devem ser procuradas e estudadas, pois tendem a facilitar a vida do empreendedor e a melhorar os fluxos do negócio.

Conheça bem as movimentações

Por incrível que pareça, é bastante comum encontrar empreendedores que não estejam integralmente a par do fluxo de caixa do próprio negócio. E esse desconhecimento pode causar um enorme estrago. Os gastos empresariais devem ser todos muito bem planejados, estudados e controlados, caso contrário, o desperdício pode tomar conta. Assim, mês a mês, o responsável sequer nota que determinados custos estão levando parte de seus rendimentos. E as receitas também podem ser afetadas, viu? Sem a gerência sobre as contas a receber, inadimplentes podem seguir no comodismo sem cobrança, por exemplo. Tem-se aí faturamento não obtido. Com pagamentos recebidos em atraso sem a devida atenção, deixa-se de arrecadar com juros e multas, além de não ser possível coibir a prática negativa.

Organize o orçamento

Por mais que algumas despesas sejam variáveis, a maioria é fixa e mensal. Em relação às receitas, os aluguéis são previsíveis e as vendas podem ser projetadas, levando em consideração a situação do mercado, o desempenho da empresa, as tendências da economia e outros detalhes. Com esses dados, é importante (e mais seguro) criar um orçamento para o semestre ou pelo menos para o ano que englobe todas as movimentações possíveis. Essa prática costuma alertar para inconsistências, adiantando ações ou as interrompendo.

Acompanhe as finanças

Para que a organização do orçamento a longo prazo seja verificada e dê segurança ao empresário, ela deve ser analisada mensalmente, com os resultados em mãos. Essa periodicidade permite, se for preciso, implementar mudanças no planejamento, enxergar melhor o andamento da gestão financeira empresarial e agir com base em números sólidos e não apenas em percepções.

Separe o pessoal do corporativo

A mistura de recursos pessoais com os da empresa promove muito facilmente a desorganização do gerenciamento das finanças do negócio. E por mais que fazer esse mix seja bastante comum, é uma falha grave. Deve, portanto, ser evitada a todo custo. No caso de ser extremamente necessário e não havendo outra alternativa, ao menos formalize o ato como um empréstimo ou retirada antecipada de lucro.

Trate de se modernizar

Por mais que os mais tradicionais tentem ignorar, a tecnologia já está aí há muito tempo mostrando ser uma ótima aliada na gestão financeira. Processos manuais exigem gastos de tempo e dinheiro desnecessários, além de possibilitarem erros com certa facilidade. Que tal automatizar controles, projeções, planejamentos, cobranças e diversos outros trabalhos? O inGaia Locação, por exemplo, atende ao setor imobiliário de forma abrangente, oferecendo um pacote de soluções valiosas. O retorno à administração de processos (recebíveis e pagamentos) com integração de impostos e contas bancárias é certo. Assim, custos são reduzidos e a gerência de receitas e despesas é otimizada.

Agora nos conte: como você vem administrando o fluxo de caixa e demais procedimentos de importância financeira da sua imobiliária? Tem tido sucesso com suas investidas? Compartilhe suas experiências conosco aqui nos comentários e participe da conversa!

publicidade
Administração de Locações e Financeiro Completo - inGaia Locação
Artigos relacionados
Compartilhe