Mercado

Gestão Imobiliária

Gestão imobiliária: por que investir em smart goals

“Não vamos colocar a meta. Vamos deixar a meta aberta, mas, quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta”. A frase da ex-presidente Dilma Rousseff arrancou risadas de muitas pessoas em um discurso político sobre o Pronatec. Não podemos negar que é engraçada, ou, ainda, absurda. No entanto, vamos propor uma reflexão para os nossos leitores. Será que não somos tão confusos quanto a ex-presidente quando pensamos nas metas organizacionais?

Para muitos gestores de imobiliárias, a meta do dia é vender mais que ontem. Pode parecer um pensamento motivacional, mas, na verdade, é muito perigoso. As metas não existem para ser progressivas, mas, sim, realistas. Essa pressão desordenada por vender mais e mais não gera só expectativas frustradas, mas também pode causar um desconforto nos corretores, que sentirão na pele o estresse. Em vez de motivar, pode gerar o efeito contrário.

Metas precisam ser elaboradas de maneira inteligente. Por isso, hoje falaremos do conceito de smart goals. Quer saber mais sobre esse assunto? Então acompanhe o post que elaboramos e se torne um especialista. Certamente você vai terminar essa leitura sabendo exatamente como definir uma boa meta para o seu time, o que vai melhorar a forma como lida com a gestão imobiliária. Confira!

Afinal, o que são os smart goals?

Se traduzirmos o conceito para o português, teremos que smart goals nada mais são do que metas inteligentes. Isso significa que a meta precisa ter uma finalidade específica, que é o cumprimento dos objetivos de longo prazo da imobiliária. Para que isso seja possível, elas precisam obedecer determinados critérios para abandonarmos de vez a intuição e o achismo.

Por isso, dizemos que toda a meta precisa obedecer 5 elementos principais: especificidade; mensurabilidade; tangibilidade; relevância e temporalidade. Se olharmos para uma proposta de trabalho e percebermos que ela possui todas essas características, então é sinal de que estamos no caminho certo e de que essa meta será cumprida.

Mas, afinal, o que significam esse 5 conceitos e como eles agregam à gestão imobiliária? É justamente esse o assunto que vamos conferir em seguida.

Os 5 conceitos em smart goals

Agora é chegado o momento de abordamos com mais detalhes os 5 elementos já mencionados por nós presentes nos smart goals. Vamos conferir cada um deles?

Especificidade

Basicamente, a especificidade significa que a meta precisa ser clara para todos, de preferência possuir números exatos e dados para que todos possam acompanhá-las e persegui-las. Não basta, portanto, dizer para o corretor aumentar as vendas, é preciso determinar um valor numérico, ou seja, o que, de fato, é esperado do profissional ao final do mês.

Mas como determinar esse valor específico? Claro, a especificidade é apenas um elemento isolado, que deve ser observado em conjunto com todos os outros. Então continue acompanhando.

Mensurabilidade

Outra questão muito importante durante a elaboração de metas é a mensurabilidade. Qualquer meta estabelecida pela empresa precisa de um indicador específico para acompanhá-la para que possamos acompanhar todos os resultados. São os indicadores que nos ajudam a tomar decisões melhores durante o planejamento estratégico, por isso, são indispensáveis na gestão imobiliária.

Ticket médio, taxa de conversão e taxa de follow up, por exemplo, são apenas alguns exemplos de indicadores indispensáveis no meio imobiliário.

Tangibilidade

Lembra quando falamos sobre a especificidade? Era preciso saber exatamente quais são os valores numéricos que devem ser estabelecidos para as metas, não é verdade? Pois é, essa é a questão da tangibilidade. Uma meta precisa ser atingível, ou seja, ser palpável, estar dentro da realidade da sua equipe. De nada adianta sonhar alto se os colaboradores não alçarão os voos almejados – por sinal, metas impossíveis apenas desestimulam.

Para cumprir com a tangibilidade, a imobiliária precisa fazer uma pesquisa de mercado e descobrir as principais tendências. Para a sorte do gestor da área, o que não faltam são estudos sobre o assunto, afinal, é do interesse de todos saber como anda esse mercado.

Relevância

Afinal, para que serve uma meta? Para entendermos isso, precisamos saber a diferença entre metas e objetivos. Os últimos se referem as nossas ambições de longo prazo, mas genéricas e abstratas. Um bom exemplo seria a vontade de se tornar uma referência em determinada região da sua cidade. Já as metas são mais específicas e voltadas para o curto prazo, como concluir um determinado número de vendas em um período preestabelecido.

Para que as metas sejam relevantes, elas precisam justamente ajudar a alcançar esse objetivo maior. Precisam, de fato, somar e agregar, ajudando a empresa a se tornar o que ela almeja ser. Se você quer se tornar uma referência na zona leste de São Paulo, por exemplo, não adianta nada focar em conseguir “as chaves” de apartamentos de outras regiões.

Temporalidade

Por fim, é muito importante sabermos priorizar as tarefas relevantes. Acontece que, na rotina agitada do dia a dia, facilmente perdemos o controle e aquela tarefa burocrática, sem valor nenhum, acaba se tornando a coisa mais importante do mundo. É justamente por isso que temos a questão da temporalidade como último elemento das smart goals.

É preciso sempre definir um prazo certo para as metas, afinal, os corretores precisam saber exatamente o que devem priorizar em suas rotinas. Por isso, você deve sempre pensar em uma periodicidade para cada uma das suas metas.

Smart goals na gestão imobiliária

O ramo imobiliário é bastante competitivo, por isso a importância de estabelecer boas metas. Em primeiro lugar, isso é fundamental para que a imobiliária saiba exatamente aonde pretende chegar e, assim, possa se destacar no mercado.

Além disso, os próprios colaboradores precisam saber exatamente o que a empresa espera deles e, por isso, é preciso definir as metas com cautela. Caso contrário, em vez de motivar e ordenar os trabalhos elas podem desestimular ou estressar desnecessariamente os colaboradores.

Por isso, durante o planejamento estratégico, considere a aplicação desses conceitos para garantir melhores resultados. Certamente esse é um dos grandes segredos de uma boa gestão imobiliária.

Outra ferramenta importante para uma gestão eficiente, é investir em um CRM imobiliário, como o inGaia Imob. Dessa forma você tem muito mais dinamismo para gerir os seus clientes e imóveis e ainda contar com um site onde pode divulgá-los de forma atraente e com uma enorme possibilidade de customização.

Gostou do nosso post de hoje? Então que tal conferir como melhorar o seu resultado de vendas com o marketing digital?

publicidade
Compartilhe